Loading

Monatério de Maulbronn - Maulbronn, Alemanha


			Mosteiro de Maulbronn

O que impressiona no Mosteiro de Maulbronn são principalmente o bom estado de conservação do mosteiro e a característica pouco comum de uniformidade e coesão. O local permite entender a vida e o trabalho da Ordem Cisterciense entre os séculos XII e XVI até nos mínimos detalhes. Como parte de um extenso trabalho de restauração no Mosteiro de Maulbronn, a Kärcher ajudou a restaurar o Patrimônio Mundial da UNESCO por meio da difícil remoção de uma camada de calcário da fonte de três níveis na ala norte do claustro. Este serviço revelou a cor vermelha original do arenito pela primeira vez em séculos.

Nos níveis mais baixos e médios da fonte, formaram-se camadas de calcário de até 1,5 cm de espessura como resultado do alto nível de dureza da água, cerca de 21 ° dH. A primeira etapa do trabalho envolveu a remoção das incrustações grossas, em lugares menos sensíveis, com um martelo e um cinzel. Para não danificar a pedra original, a Kärcher, por sua vez, utilizou uma pistola de jateamento de partículas para remover a camada de calcário remanescente. Utilizando ar comprimido e uma pressão de 1-4 bar, um pó de vidro muito fino (tamanho do grão 40 - 80 pm, dureza de Mohs 6-7) foi aplicado às superfícies de pedra, removendo suavemente as incrustações. Os funcionários Kärcher foram capazes de reagir rapidamente aos diferentes níveis de calcário, já que a pressão do ar e quantidade de granalha podem ser ajustadas com precisão no punho da pistola de jateamento. Usando este procedimento delicado, foi possível revelar a maior parte do arenito vermelho, incluindo a superfície das cabeças dos leões, que jorram água no patamar do meio.

A fonte foi construída por volta de 1500 e, posteriormente, ampliada em mais dois patamares e um cume cônico de chumbo como parte de uma reconstrução parcial em 1878. A fonte foi usada pelos monges para a limpeza, abluções cerimoniais e tonsura.

Os estilos arquitetônicos no Mosteiro de Maulbronn vão desde o romântico ao tardo-gótico. Na Idade Média, o mosteiro era um importante centro político, econômico e social. Após a Reforma, o mosteiro foi convertido em uma escola monástica Protestante (1556). Em 1807, ele foi fundado como um seminário Protestante e assim permanece até hoje. Hoje, ele abriga uma escola de ensino secundário para línguas antigas, que teve entre os seus alunos mais famosos o físico Johannes Kepler e os escritores Friedrich Hölderlin e Hermann Hesse. O Mosteiro de Maulbronn não só é o mosteiro mais bem conservado ao norte dos Alpes, mas também uma obra representativa da arquitetura medieval e parte do patrimônio mundial da UNESCO desde 1993.


			Mosteiro de Maulbronn

			Mosteiro de Maulbronn

			Mosteiro de Maulbronn